20 abril, 2007

Solidão



Solidão

Tenho no oco
das minhas mãos,
o vazio do mundo
em que respiro.
Nadas
e ainda menos
cores;
linhas de vida
sonhadas
mais que
verdadeiros amores.
Imagino
que no vazio cabe tudo.
Até Venus
a estrela da madrugada
e outros doces pensares.
Sera caso para abraçar
as palmas das mãos
para que o milagre
se concretize ?
Acendo uma vela
e deixo no vazio
a vela arder.
Quem sabe!
Tudo pode acontecer.
A cera corre
e no queimar da pele
das mãos que a recebem
com carinho,
lembra que o vazio
também doi.

Carlos Tronco
Mondeville
25/08/06

5 comentários:

Poliedro disse...

Uma vela ao Senhor, esperando que a sua chama desencadeie nas mãos a cera de um doce amor.
Sabes, penso que compreendo a solidão. A solidão dos instantos, do sonoro e bem quieto bater rítmico dos momentos, a entrega suprema a ele. Não! Não é mau de todo. Uma primeira adaptação é capaz de não sei nada fácil, mas temo-nos a nós, sôfregos de pacatez, silêncio e calma. Não! Penso que não é o nada. O vazio. Há algo nela, na solidão, de muito bom. Até mágico.
Só sei uma coisa: Penso que a entendo!
Beijos. Muitos
pena

Anónimo disse...

Ai ai, a solidão cercada de muita gente, sentida em multidões, acariciada num espeço sem tempo!!!!!
Mºa João

Anónimo disse...

Mondeville?????
J.A.

Poliedro disse...

Linhas da vida incertas, plenas de nada e de tudo.
Penso que a entendo um pouco. Sinceramente.
Só um pouco, mas ela diz muito...
pena

Carlos disse...

Mondeville
Ville du nord de France dans le département du Calvados
Siège social du groupe "Carrefour"