19 março, 2007

DIA DO PAI


Conforme ia envelhecendo, ia-se tornando uma pessoa cada vez mais interessante.
Sem a pressão da responsabilidade, da seriedade e dos compromissos laborais, a sua personalidade foi-se libertando e foi assumindo matizes que viveram resguardados durante muito tempo, como o sentido de humor, a autenticidade e a criatividade.
Vivia os problemas dos descendentes de uma forma cada vez mais descontraída. Quando presenciava aqueles comentários que todos nós fazemos sobre os filhos, do tipo “ …aos três anos é que eles são giros, depois cada vez surgem mais problemas… e em adolescentes? Perdem a piada toda… e depois? Arranjam namorados, olha nunca mais são nossos! Ahhh os bébés, que idade bonita!!!”, dizia apenas: “ Nos filhos todas as idades são bonitas!”

Esteja onde estiver a energia que se libertou de ti… hoje saúdo-te: Bom dia, Jacinto!

1 comentário:

Pena Gil disse...

Também tive a preocupação de relembrar este dia no meu blog.
Adoro o meu Pai. Sim! Com toda a força que me vai cá dentro. Adoro-o!
Beijos.
pena