10 junho, 2007

cerejas


2 comentários:

Poliedro disse...

As palavras. Belas palavras! Cerejas. Deslumbrantes cerejas!
É verdade. Arrastam-se, arrumadinhas e aconchegadinhas entre si, formando frases, cachos, que se consomem com delícia e prazer.
Umas encadeam outras e, como num formigueiro, orientam-se com encanto e uma forma concebida e pensada para agradar. Ambas, as cerejas e as palavras, são sensíveis, pela doçura, ao sabor do paladar insaciável com um rumo definido e uma significação imensa e representativa. Visíveis. Presentes.
Tens razão, umas desencadeam outras e, outras, outras. Sem fim!
Excelente ideia, numa frase bem delineada e construida.
Um Beijo Grande
Com estima
pena

Té la mà Maria disse...

bonita fotografia, este fin de semana he estado en Lisboa, explendida como siempre

saludos