07 junho, 2007

ADORO RIR


You more in tea lee jean tea

Um Inglês a viver em Portugal ia fazendo um esforço para dizer umas coisas em Português. Foi ao supermercado e fez a seguinte lista, à sua maneira:

- Pay she

- MacCaron

- My on easy

- All face

- Car need boy (may you kill oh!)

- Spar get
- Her villas

- Key jo (parm soon)

- Cow view floor

- Pee men too

- Better hab

- Lee moon

- Bear in gel
Ao chegar a casa, bateu com a mão na testa e disse:

- Food ace! Is key see me do too much! Put a keep are you!







Aprecio a seriedade, a honestidade, a lealdade, a solidariedade, a responsabilidade, a competência, a criatividade.... sei lá, mas a tolerância e o sentido de humor é a nota que evita que sejamos cinzentos; o sentido de humor evidencía o nosso lado infantil, torna-nos mais humanos, menos despretenciosos, mais vulneráveis, capazes de rir das nossas fragilidades e aguça o espírito crítico... além de que lava a alma. O riso atenua hostilidades, por vezes atenua diferenças, pois o riso contrói laços entre os seres humanos facilitando o diálogo e estimulando a amizade.

Adoro essa prática de rir.

6 comentários:

Poliedro disse...

Anabela:
Li, com atenção e, até pormenorizadamente, este teu post sobre o riso.
Sabes, em face da minha realidade como pessoa, não gosto muito de rir. Apenas. sorrir. E, sorrir, sorrirei sempre que me suscite piada ou graça. Há pessoas, atitudes, gestos, expressões faciais e, muito mais, que me fazem sorrir.
Isto tem uma história, que ta conto:
O "simpático" e "risonho" Augusto não vai lá muito comigo. Em abono de verdade, também não vou muito com ele.
Acontece que tem de mim uma opinião não muito boa, talvez de Tótó, ou algo ainda mais imeritório.
Sempre que me aborda, pensando lidar com um Zé-Ninguém, mete-se comigo com piadas despudoradas ou piadas porcas para me ferir. É capaz de me humilhar com revistas indecorosas, ou falar ironicamente sobre as mulheres. Que mal lhe fizeram as simpáticas mulheres, para as tratar assim? Quer humilhar-me de qualquer modo ou feitio.(Se quiseres não acredites?)
E, isto, repete-se sucessivamente sem parar. Nunca reagi. Na reunião de Dep. tentou mais uma vez, rindo-se de mais uma tentativa para o fazer. Olha, Anabela, esta guerra não é tua, sei bem. Eu que me desenrasque e me torne no bobo do Augusto "risonho" e de todos os "risonhos" do Dep.
Mas, podes estar certa de uma coisa: Jamais fará tal! Sou pai, sou marido, sou Educador.
A paciência tem limites.
Explodi naquele instante, sem ele esperar. Sabes, gosto de sorrir com os meus, que ainda se sorriem comigo.
Que Saudades de Santa Marta?
Apetecia-me dizer algo mais, mas acredito que esta mensagem chegará a bom porto escarrapachada aqui para todos lerem.
Que pensarão as pessoas de bom-senso? Pais, maridos preocupados, chefes de família ou Educadores?
Embora gostes de rir, és capaz de dizer que não sei brincar.
Aguenta-se, aguenta-se, aguenta-se...mas...Percebes? Sei que sim.
Com respeito e muita estima.
Pena

Nilson Barcelli disse...

A lista é hilariante. Mas se calhar funciona...
Sentido de humor? Pois, aprecio e subscrevo na íntegra o que disseste.
Sei que o tens, de contrário nem tinhas reparado nas "coxas roliças" do poema e tinhas ficado apenas embasbacada com o guarda-chuva vermelho...
Haja sentido de humor largo, já que "O tempo em que te olho é sempre estreito"...
Beijinhos.

Anónimo disse...

Por favor, não batam muito no ceguinho que é um comentarista assíduo e respeitador.

Anónimo disse...

Mas quem bate em quem?
Não entendo nada disto!!!! Eu apenas venho comentar um blog de uma amiga! e comento apenas o que há a comentar: o assunto que ela tem a amabilidade de partilhar publicamente, diáriamente.
Ora! o riso, o sorriso, o sentido de humor, a cumplicidade.
O riso afinal parece que faz bem à saúde. Gargalhar solta endomorfinas!!!!! o que serão as tais endomorfinas, que nos andam enclausuradas na garganta?
Bj Mª João

Anónimo disse...

Sei perfeitamente o que são endormofinas. Não! Não são para qualquer pessoa. Se se limita só a comentar não compreendo essa revolta com algo que não lhe diz respeito. Comente a sua amiga e o que ela escreve. Não se meta em assuntos que não lhe dizem respeito.
É pena remeter-me a mim próprio e constatar que o que venho a fazer aqui é nulo. Não presta e não tem valor, tenho que concordar.
Poderarei futuras intervenções.
É, por pessoas como você que o Mundo não avança.
Pode crer! Comente!

Poliedro disse...

Que o poder avassalador da compreensão e o gesto de amarem o Mundo me perdoem.
O mal, é que sou de uma sensibilidade que nem eu, por vezes, compreendo. Mas, acreditem que não morre, ressuscita sempre no imaginário de mim.
Se eu deixasse de pensar, cairia num poço sem fundo sem regresso.
Talvez, fosse melhor.
Aceitaria que falassem de tudo o que me incomoda, tudo, mas tudo, que me fere, que me aleija, que me deixa ferida profunda.
Adoro as simpáticas damas. Mas, desta forma de as comentar, não!
Merecem todo o meu respeito e, mais que isso, toda a minha ternura e meiguice.
Vêem, lá volto eu. Que fazer?
Desculpem!
Anabela, um Beijo Grande
pena