27 julho, 2007

IMPERDÍVEL, em Roma (III)









Procurem pelo Panteão, procurem estudá-lo e percam algum tempo por ali, pois é o mais belo e o mais conservado monumento da antiguidade que restou em Roma, 27 A. C.
É considerado a expressão máxima da arquitectura/engenharia da Roma Antiga.
No século VI passou de monumento pagão (templo romano de todos os deuses) a cristão.
O pórtico tem 16 colunas monolíticas que conservam as marcas dos desentendimentos entre os homens. Teve várias intervenções ao longo dos 20 séculos, mas as portas em bronze são as originais. O espaço interior é circular, e a cúpula é aberta por um oculus, faça chuva ou sol, com optimo arejamento e luminosidade.
Penso que é aí que está "la madona negra" (afinal a memória já não está assim tão fresca!).
Nesta cidade, o pagão e o cristão fundem-se e baralham-nos.
Por ali perto ainde se pode ver a Igreja Madalena com fachada rócocó, o obelisco dedicado a Minerva na praça do mesmo nome, ligeiramente atrás do Panteão (uma base em forma de elefante de Bernini), e a igreja de Sto Inácio de Loyola que tem um tecto sublime com uma pintura do Andrea Pozzo.
Tomando a Via del Corso, reparem nos palacetes principescos que por ali abundam, cada qual o melhor, descubram à esquerda o Mausoléu de Augusto, parece abandonado, cheio de ervas daninhas e silvas, talvez não consigam entrar, e noutro troço à direita, por uma rua estreita vai-se dar à Fonte Trevi.

Preparem-se que aquela monumentalidade da Trevi tem um espaço envolvente pequeno, é o unico senão... porém é a fonte pui bella. Projecto de Nicola Salvi (sec. XVIII). É a escola de Bernini no seu melhor, não há adjecivos para a elogiar e descrever. Perante tamanha beleza esquecemos que é uma das fachadas dum palácio. Está tudo lá: o Neptuno, os tritões, o cavalo alado... tudo isto tem uma simbologia relacionada com os estados do mar.
Convém deixar uma moeda na fonte para voltar de novo a Roma. Só eu deixei várias, por causa das coisas!!!(inspiração em Felinni) o complicado será chegar até lá... bué de gente, sempre!!!! Quando se tira uma foto de certeza que vem um japonês lá no meio... OLOLOLO

Esta fonte ainda hoje é abastecida pelo aqueduto de Agrippa projectado em 19 a. C.

Bem, em relação a fontes, Roma é a cidade delas, dava para fazer um roteiro só com este elemento decorativo.
Ciao amicos.

3 comentários:

Té la mà Maria - Reus disse...

ostras Roma que envidia mas sana que tenemos, no te olivides de ir al lado de Partenon a un pequeño café, que te serviran uno de los mejores cafes del mundo

saludos y me gustaria estar alli

Poliedro disse...

Amiga simpática Anabela:
A tua riqueza interior transcende-me.
Podes querer que tudo o que escreves com dedicação será alvo da minha atenção. Tiveste um trabalho exaustivo para me informares da quanta maravilha cai sobre a deslumbrante Roma, que é um portento harmonioso de cultura e monumentaridade.
Fiquei surpreendido. Vivamente!
Isto, não caiu em "saco roto".
Há tanto que ver? Tanto?
Olha, só espero não omitir nenhum pormenor.
Espero que as minhas intenções, cimentadas pelo fascínio das tuas descrões ganhem vida e se concretizem com delícia e encanto.
Um OBRIGADO sentido.
Um Bem-Hajas por tudo o que és.
Beijos respeitadores e Amigos
pena

Charlie disse...

Senti-me de mãos dadas calcando as ruas da Cidade Eterna. Que bom é viajar no teu entusiasmo e rigor dos factos. Acho que vou copiar estes teus post e guardá-los na minha pen para quando fôr a Roma.
Ah!...e prometo esbracejar e fazer cara de doido para enxotar os japonecos para longe da objectiva da minha "Kodak". Realmente são uma praga, todos iguais e carregados de máquinas. Mas o que seria do encanto dos monumentos de Roma se as ruas estivessem vazias de gente?