17 julho, 2021

AUTO


BIENAL DE ARTE DE GAIA

JULHO 2021

16 julho, 2021

PARABÉNS, DOUTOR

 PARABÉNS, DOUTOR      


            Na quinta-feira passada tive o prazer de assistir à apresentação de mais um livro do meu estimado amigo Caseiro Marques. Ainda não li o livro, apenas apreciei a capa.

            - Gostei da capa, Teresa. Está muito bem, comentei com a sua companheira, enquanto ele assinava o seu livro para me oferecer.

            - É uma gravura que ele tinha no escritório. Esteve lá sempre. Não se lembra?

            Rebobinei a memória e de facto lembro-me dessa imagem pendurada no seu escritório localizado na Travessa da Portela, a imagem da Justiça personificada pela mulher a levantar a balança. Explicando isto melhor, pensava eu que seria a imagem da deusa grega Thémis  filha do Céu e da Terra, esposa de Zeus, o deus supremo, criadora de leis que organizavam os homens e guardiã dos juramentos dos mesmos. Mas afinal confirmando detalhes, agora em casa, descubro que quando a figura feminina tem os olhos vendados, representa a deusa romana Justitia. A venda nos olhos não significa que a justiça seja cega, mas que trata todos de igual forma.

            Quero registar aqui o meu apreço pela sua postura perante a vida. A sua avontade de escrever e partilhar o que escreve, revel o seu lado erudito e simultaneamente altruísta. E ele escreve. E agora que tem tempo, ainda escreve mais. A sua vida provavelmente ainda faz mais sentido, porque nos revela o que é, o que sente e o que o afecta. Ele não espera que a vida aconteça, ela faz acontecer.

            Conheço o Dr. Caseiro Marques há muito tempo, não como advogado, porque felizmente não precisei, mas temos cultivado uma bela amizade. Somos muito diferentes, mas temos desenhado convergências que nos aproximam, e uma delas é a escrita, para além das beldroegas que me oferece todos os anos e de que ambos gostamos de juntar à sopa.

            Foi ele que me convidou para escrever neste jornal, convertendo um passatempo num exercício regular, disciplinado e em liberdade, que muito me tem ajudado a evoluir no mundo da escrita.

            Politicamente não somos próximos, evito o assunto, mas após de ponderados os assuntos mais importantes da vida, descubro que ambos somos humanistas, apesar de ele acreditar em Deus e eu ainda não acreditar. Respeito o seu lado e ele respeita o meu.

            Tem sentido de humor, não é homem cinzento, gosto do seu apego a Carapito, é inteligente e astuto, gosta de rir, tem orgulho em ser fuzileiro e aprecio o seu encantamento genuíno pelo seu neto Francisco. Organiza uns passeios culturais entre gente próxima, de uma comunidade semi-rural, tendo-me permitido participar e com quem tenho aprendido e conhecido pessoas simples e sãs, como eu gosto.

            Tenho em memória uma bela visita a Aranjuez, à Corunha, a Segóvia e já saboreamos ao final dum dia quente madrileno, na Plaza Maior uns simples huevos com jamón, deliciosos.

            - O que é isso que vai pedir?

            - Ovos com presunto e batatas fritas.

            - E isso é bom?

            - Vai-me saber pela vida, a melhor ementa do mundo...

            Na quinta-feira no final da sessão, vira-se para mim e uma amiga comum, lembrando-se de uma pequena viagem que fizemos no sábado anterior para visitar a casa de Júlio Dinis...

            - Vós sois umas andarilhas, na próxima vez também quero ir convosco. Já disse à minha mulher. Convosco, ela deixa-me ir.

            Parabéns, doutor, continue assim.

Publicado em NVR, 14/07/2021

11 julho, 2021

LABIRINTO DA CASA DA PRELADA

 


LABIRINTO DA CASA DA PRELADA

A casa da prelada situa-se na cidade do Porto e foi projetada pelo arquitecto italiano Nicolao Nasoni. O Jardim da casa possui um dos maiores labirintos da Península Ibérica. Este labirinto é o único existe na cidade, construído no século XVIII. O Traçado do labirinto faz-se através de bucho e percorre-lo é ter a noção do vazio e do cheio, da organização e do caos, a promessa e a ameaça e finalmente o lugar da recompensa, ou seja, no centro situa-se uma grande araucária-de-norfolk com 30m de altura.

Este labirinto é ornamental, fazendo parte da composição de uma grande jardim e também tem função lúdica, da descoberta, evocando o Labirinto de Creta.  AQ


10 julho, 2021

07 julho, 2021

REFLEXÃO VADIA

 

REFLEXÃO VADIA 

            Continuo enfastiada com o melodrama do ministro Cabrita, preocupada com o avanço da COVID, gosto de políticos independentes, veremos se irei continuar a apreciar Rui Moreira e sou fã métodos nitidamente intimidatórios do Juiz Carlos Alexandre... que querem, aprecio o estilo! Mas não me apetece escrever sobre isso.

            Na semana passada escrevi sobre esta mania recente das mulheres assumirem os seus cabelos brancos e agora vou escrever sobre os paradigmas masculinos, nesta reflexão vadia.

            Há muitos, muitos anos, um actor de cinema apareceu no ecrã para representar “Nove semanas e meia”. Usava uma barba mal feita de 3 dias. Actor despojado com estilo largadão, que fez suspirar as mulheres jovens. Homens novos, ficam bem com barba, sem barba, com bigode, com barba de 3 dias. O ar juvenil é que lhes confere alguma beleza. Este queria ir além disso, exteriorizando rebeldia com meia dúzia de pêlos a jogar à sueca sobre o seu rosto.

            A barba de 3 dias virou moda, não por parecer bem, mas, porque os homens são tremendamente preguiçosos e juntaram o útil ao supostamente agradável.

            45% dos homens preferem a barba por fazer – a preguiça soma e segue, sempre são 10 minutos que se poupam logo de manhã.

            Ao longo dos anos, a moda foi acertando a barba aos homens. Nas fotos antigas, os nossos bisavós aparecem com uma longa barba, símbolo de respeito e dignidade. Folheando os álbuns da família irão aparecer os homens de bigodinho fino ou estilo victoriano (os galãs, tipo Clark Gable), os homens de bigode revirado para cima ou guiador de bicicleta (bigode para vaidoso e excêntrico, tipo Salvador Dali), os barbudos dos anos 60 e 70 (os revolucionários, tipo Che), os bigodes farfalhudos, ou chevro, ou piaçaba (os pingamores canastrões, tipo Mastroianni), o bigode ferradura (para homens que nunca riem, tipo Charles Bronson), as super patilhas (suíça em forma de costeleta, tipo Ramalho Eanes,) o bigode âncora (com mosca, pêra e bigode, tipo Johnny Depp) e finalmente a barba da preguiça, que alguns acham muito charmosa - confessem a vossa ignorância sobre a arte pilosa facial!

            Uma barba de preguiça depois dos 50 anos, começa a branquear e envelhece. Há muitas décadas, um homem assim, nesse estado, só era possível e tolerável quando estava doente no hospital. Um homem de barba feita apresenta um ar muito mais jovem e saudável do que um barbudo.

            Diziam que beijar um homem sem bigode é como olhar para um jardim sem flores... Claro que isto é uma fake, uma teoria inventada por um homem com bigode.

            A empresa Gillette questionou várias mulheres e parece que as mulheres consideram os homens barbudos pouco atraentes ... claro que questionário de empresa que vende lâminas de barbear tinha que terminar assim, porém, há que considerar que toda a mulher gosta de um beijo bem dado, do tipo desentupidor de pia, ou seja, um beijo picante... mas, nunca confunda picante, com picante, ou seja, o picante fogoso, não quer dizer que de facto pica e arranha, provocando danos à cútis feminina. 

            A barba pode disfarçar a feiura e um bigode farfalhudo disfarça a cremalheira. Homens de corta palha exagerado, usem bigode!

            Uma barba pode ser o armazém dos restos da refeição, o microclima das bactérias, o habitat dos virús, o viveiro de ácaros e o paraíso dos fungos. É difícil realizar uma higienização adequada do rosto fora de casa e durante a rotina de trabalho, por isso em tempos COVID é fácil perceber que o corte e raspagem da barba é o mais indicado.

            A barba serve para disfarçar as rugas de expressão e as rugas da idade. Será que interessa esconder as rugas, se depois a calvice não engana e o perímetro do abdómen excede os 102 cm???

            A revista Super Interessante, na secção Ciência Maluca, refere que ter barba faz bem a saúde porque protege o portador de alergias e tosse e ainda é um protector solar. Os investigadores chegam à conclusão que o bigode serve como uma barreira de proteção contra as bactérias trazidas pela poeira, ou seja, faz um prolongamento dos pelos do interior do nariz, que tem a mesma função... lembrem-se disto antes de dar um chocho a um bigodudo!!!! Shlep!

            A Ciência Maluca assegura que, se a barba for longa e cobrir parte do pescoço, as inflamações na garganta podem durar menos tempo, porque a barba deixa a região mais aquecida. E eu acrescento que os cantores poderão evitar o cachecol para proteger as cordas vocais, se tiverem barba.

            NÃO SE ENTUSIASMEM!

            Um estudo europeu revela que a barba de um homem tem mais bactérias do que o pêlo de um cão que não toma banho diariamente.

Publicado em NVR - 07/07/2021